Close

O pensamento dualista é a energia dinâmica da mente.

Jamgon Kongtrul

Creation and Completion

A prática da yoga transformou profundamente a minha vida.

João Canário

Arquiteto

Nossa agenda

Horários

Veja aqui o nosso quadro de horários. São diversas opções para você praticar e melhorar a sua saúde.

Chakra Svadhisthana

Svadishthana Chakra

Significado do nome do chakra

Lugar-Morada do Ser

Localização

Plexo hipogástrico; genitais

Cor Bija (semente)

Dourada

Som do Bija

VAM (VANG)

Som da Pétala Bija

Bang, Bhang, Mang, Yang, Rang, Lang.

Forma do Tattva (elemento)

Círculo

Sentido predominante

Paladar

Órgão do sentido

Língua

Órgão motor

Genitais

Vayu (ar)

Apana Vayu, o ar que expele o Sêmen do órgão masculino; urina de ambos os sexos; e o que empurra a criança para fora do útero durante o nascimento.

Aspectos

Procriação, família, fantasia. O elemento terra do Chakra Muladhara dissolve-se no elemento água do Chakra Svadhisthana. A fantasia penetra à medida que a pessoa começa a inter-relação com a família e os amigos. A inspiração para criar começa no segundo chakra.

Tattva (elemento)

Água

Cor do Tattva

Azul-Claro

Loka (plano)

Bhuvar Loka, Naga Loka, o plano astral

Planeta regente

Mercúrio (lunar, feminino)

Forma Yantra

O Círculo com o Crescente. A forma crescente da lua é o yantra deste chakra, de cor azul-clara. A forma do elemento água é circular. O segundo chakra é dominado pelo elemento água – a essência da vida.

Três quartos da terra são cobertos de água. As marés são governadas pela lua. Três quartos do peso corporal de uma pessoa são água. A lua afeta as pessoas sob a forma das marés emocionais. As mulheres possuem um ciclo mensal sincronizado com o ciclo da lua. O Chakra Svadhisthana é o centro da procriação, diretamente relacionado com a lua.

A relação vital entre a água e a lua é mostrada no yantra crescente dentro de um círculo branco do chakra da água. A lua desempenha um papel importante na vida das pessoas do “segundo chakra”, que atravessam muitas flutuações emocionais durante a mudança das fases da lua.

O círculo com seis pétalas

Fora do círculo branco estão seis pétalas vermelhas de lótus (mistura de escarlate e carmim), a cor do óxido de mercúrio. As seis pétalas representam as seis terminações nervosas importantes do segundo chakra. Assim como as quatro pétalas no primeiro chakra representam o fluxo de energia das quatro fontes e pelas quatro dimensões, as seis pétalas do segundo chakra mostram a energia que flui das seis dimensões. No segundo chakra, o esclarecimento linear do primeiro torna-se circular, com mais movimento e fluxo. O círculo branco simboliza a água, o elemento do Chakra Svadhisthana.

Som Bija

A concentração deve estar centrada no segundo chakra quando o bija VANG for repetido. Os sons da água ampliam o poder deste bija. Quando produzido de maneira apropriada, este som rompe qualquer bloqueio nas regiões inferiores do corpo, permitindo um fluxo energético sem obstruções.

Veículo do Bija

Crocodilo (sânscrito, Makara). Movendo-se de modo serpentino, o crocodilo retrata a natureza sensual das pessoas do segundo chakra. O crocodilo captura a sua vítima através de vários truques. Aprecia flutuar, mergulhar fundo na água e tem um forte poder sexual. A gordura do crocodilo já foi utilizada no homem para aumentar a virilidade.

Os hábitos de caçar, realizar truques e fantasiar do crocodilo são qualidades de pessoas do segundo chakra. O ditado “chorar lágrimas de crocodilo” também é conhecido na Índia, referindo-se a falsa manifestação de emoção.

Deidade

Vishnu, o senhor da preservação. Vishnu representa o poder da preservação da raça humana; por isso está no segundo chakra, o local da procriação. Ele senta-se sobre um lótus cor-de-rosa. Sua pele é azul – lavanda, e ele usa dhoti amarelo-dourado. Uma estola de seda verde cobre seus quatro braços. Vishnu personifica os princípios da vida correta. Sua natureza é lilá, ou representação. Assume formas diferentes à sua vontade e representa papéis diferentes. É o herói do drama cósmico.

Os quatro braços de Vishnu sustentam quatro instrumentos essenciais para a diversão correta da vida: A concha contém o som das ondas do oceano. A concha de Vishnu representa o som puro que traz a liberação para os seres humanos. O chakra é o anel de luz que rodopia no dedo indicador da Vishnu. Este chakra é o símbolo do dharma. O Chakra Dharma gira em torno de seu próprio eixo; destrói os obstáculos, a desarmonia e o desequilíbrio. A roda, forma do chakra, representa o tempo. Permanecendo verdadeira em sua revolução, a roda do chakra cria o ciclo do tempo; se não estiver em conformidade com o ritmo cósmico, deve terminar.

A clava é feita de metal, um elemento terra, sendo instrumento de manutenção do controle sobre a terra. A alça traz o controle às mãos de Vishnu. A segurança terrena sob a forma de fortuna monetária é o primeiro requisito para os desejos sensuais e a vida sexual possam ser realizados.

A quarta mão de Vishnu traz um lótus cor-de-rosa claro. O lótus cresce no lodo e permanece luminoso, radiante e elegante. O lótus é puro – inafetado pelo ambiente. A flor abre-se com o primeiro raio de luz do sol e, com o último, fecha suas pétalas. Delicado e de perfume suave, o lótus é calmente para todos os sentidos.

Shakti Rakini

Shakti Rakini tem duas cabeças. Sua pele é rosa claro ( embora, segundo o Shat- chakra- nirupal, seja cor de um lótus azul). Usa usa um sari vermelho e jóias no pescoço e nos quatro braços. A primeira inspiração de arte e música vem de Shakti Rakini. Em suas quatro mãos encontramos os seguintes instrumentos:

Uma flecha: Atirada do arco de Kama (o senhor do amor erótico), esta flecha representa a natureza da pessoa do segundo chakra quando atira sua flecha para o objetivo desejado. Indica a impetuosidade do movimento ascendente deste chakra. A flecha de Shakti Rakini é a flecha dos sentimentos e emoções que trazem o prazer e a dor, à medida que desperta a dualidade.

Um crânio: o crânio simboliza a natureza do romântico que leva a cabeça em sua mão, com as emoções governando seu comportamento.

Um damaru (tambor): O tambor simboliza o poder do ritmo e do batimento do segundo chakra.

Um purusha (machado): O machado foi a primeira arma inventada pela humanidade. Com esta arma Shakti Rakini corta todos os obstáculos no segundo chakra.

As duas cabeças de Shakti Rakini representam a energia dividida no segundo chakra: o esforço das pessoas deste chakra é voltado para conseguirem equilíbrio entre o mundo sem e o mundo com. Neste chakra inicia-se a expansão da personalidade.

No primeiro chakra a motivação básica era alcançar a segurança monetária; a atenção era linear e seguindo em uma única direção. No segundo, a atenção era linear e seguindo em uma única direção. No segundo, a atenção é dividida entre os desejos e fantasias de natureza sensual.

Efeitos da meditação

A centralização neste chakra permite que a mente reflita o mundo, como a lua reflete o sol. Adquire-se a capacidade de usar a energia criativa e sustentadora para elevar-se às artes refinadas e às relações puras, tornando-se livre da luxúria, ira, ganância, insegurança e ciúme.

Quando visualiza-se o Senhor Vishnu há uma sensação de paz contínua como um lago. A elevação do primeiro para o segundo chakra traz um esclarecimento lunar, refletindo a divina graça da criação e da preservação. Vishnu vê todos os mundos e preserva a criação do Senhor Brahma. Ele é benéfico com a tranqüilidade da natureza pura.

Características comportamentais no chakra Svadhisthana

Normalmente uma pessoa entre as idades de oito e quatorze anos age com a motivação do segundo chakra. Dormirá entre oito e dez por noite em posição fetal. Em termos de elementos, a terra é dissolvida em água. Em vez de permanecer sozinho e na defensiva, como no primeiro chakra, a criança começa a se chegar para a família e amigos para um contato físico. A imaginação aumenta. Satisfeita a necessidade de alimento e proteção, a pessoa está livre para visualizar o ambiente ou circunstância que deseja. A sensualidade entra nas relações como um novo esclarecimento da evolução do corpo físico.

O desejo de sensações físicas e fantasias mentais podem tornar-se um problema para a pessoa neste nível. A gravidez conduz a água para baixo e, assim, o segundo chakra pode ter um efeito de redemoinho, puxando para baixo na psique, levando o desassossego e confusão. Corpo e mente possuem limitações naturais, que devem ser respeitadas e compreendidas para haver saúde e equilíbrio. Comer, dormir e praticar sexo devem ser metódicos para corpo e mentem manterem-se harmoniosos e em paz.

Uma pessoa do segundo chakra com freqüência gosta de ser príncipe, senhor ou herói. A troca de papéis mantém a auto-estima elevada e nobre. Todas as culturas produzem histórias várias e poemas que enaltecem estes heróis, destruidores do mal.

O chakra svadhisthana engloba o plano astral e os outros do entretenimento, fantasia, insignificância, ciúme, misericórdia, inveja e alegria. O plano astral é o espaço entre o céu e a terra. Aqui a terra se torna uma jóia, e os céus ficam ao alcance. A fantasia pode ser utilizada para favorecer as profissões e as belas artes. A insignificância é um estado de vazio e falta de propósito. Quando um mundo é visto com a mente negativa, nada excita, nada agrada, tudo fica perdido. A inveja e o ciúme surgem de um desejo de possuir o lugar ou as qualidades do outro. Isto resulta em um estado destruidor de ansiedade inquieta. O plano da alegria traz uma sensação de satisfação profunda. Ela penetra a consciência inteira da pessoa que evoluiu além dos aspectos do segundo chakra.